A Bossa Nova que eu vivi – Vol.1
  • A Bossa Nova que eu vivi – Vol.1

    REF: 000002
    R$ 22,90Preço

    Com o fim do Bossa Norte decidi enfrentar o Rio de Janeiro. Minha intenção era trabalhar como músico e conhecer de perto os responsáveis deste movimento transformador e tive sorte. Cheguei ao Rio uma quarta feira, no mesmo dia à noite sai para sondar as possibilidades de trabalho. O primeiro lugar que visitei foi a Boate Drink da família Peixoto (Cauby e seus irmãos). Um grupo estava trabalhando enquanto outro descansava. Entre os que estavam em recreio encontrei Fernando Sansão, ex-baterista do Bossa Norte, grupo musical formado por mim no Ceará.

    Pegou-me pelo braço e apresentou-me a Iara Peixoto, irmã de Cauby. Foram tantos os elogios de Fernando que Iara me contratou imediatamente. No dia seguinte já formava o segundo grupo da casa jogando minha bossa em um time de primeira linha. Luiz Bandeira, Wilson Simonal, Marcos Moran, Pedrinho Rodrigues e Eu, formávamos a linha de frente dos dois grupos e fazíamos o Drink balançar. Nos meus momentos de folga observava o que meus companheiros faziam e tratava de seguir morrendo de medo de não dar conta do recado.

    A Bossa Nova que eu vivi e o companheirismo que disfrutei se transformaram em um tesouro que guardo com carinho.

    Esta obra é a 1º livro da série e o personagem principal é o próprio Rio porque não poderia ser diferente. A Bossa Nova não poderia ter outro berço. O Cristo abençoou e rodeou de encantos o nascimento do movimento que fez o mundo inclinar-se em reverencia à música brasileira. Foram muitos os grandes músicos que vieram de vários países estudar e aprender a BOSSA NOVA QUE EU VIVI.

    O começo foi bem desafinado mesmo e os acordes perfeitos que usávamos não eram compatíveis com a harmonia dissonantes que a nova proposta estabelecia, mas era lindo escutar João Gilberto cantando Doralice, Samba de uma Nota Só, o Pato e até Desafinado era perfeito. Que fazer? Estudar e ver como se faz para poder fazer. Mudar é bem difícil. O nosso sexteto chamado Bossa Norte foi adaptando-se ao novo, choveu críticas e comentários dos próprios colegas, mas lentamente fomos acertando o passo até chegar a dignificar o nosso nome.

    A aceitação foi tal que chegamos a fazer OITO espetáculos por semana. Tocávamos todos os dias e no domingo duas vezes; pela manhã e à noite.

    A safra foi excelente. Muitos nomes surgiram, todos enaltecedores do novo estilo encabeçados por Tom Jobim, Newton Mendonça, João Gilberto. Chegaram Vinicius de Morais Carlinhos Lira, Edu Lobo, Silvinha Teles e muitos outros e o repertório foi crescendo facilitando a nossa vida. Foi a época de cantar o amor, o sorriso e a flor. A formação do Bossa Norte se transformou depressa demais, mas para mim foi uma vida inteirinha.

    Autor
    • FORMATO

      14 X 21 CM

    • ISBN

      978-65-5001-097-3

    • PÁGINAS

      106

    Podemos ajudar?

    Saiba primeiro sobre nossas novidades!

    Home Office | Salvador -BA

    (71) 9 3300-1297 

    Gráfica | São Paulo - SP

    • Ícone cinza do Facebook
    • Ícone cinza do Twitter
    • Ícone cinza do Instagram
    • Ícone cinza do YouTube

    © 2013-2020 Editora Motres Todos os direitos reservados CNPJ: 26.394.677/0001-45